quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Eu nem sei mesmo como começar, ou nem ao menos se devo começar a escrever isso... Talvez seja um erro, mas não me importo muito com isso, erros são constantes ultimamente em minha vida.
O fato é que preciso dizer... Que eu penso em você.
A cada dia, cada hora, cada minuto, cada segundo disso que denominaram existência.
Queria dizer que mesmo que eu tenha jurado pra mim e pra você que não mais te queria, que não mais lutaria, que não mais sofreria por ti, tudo não passou da mais pura mentira.
Eu quis acreditar e fazer todos acreditarem que eu estava bem e que tudo ficaria preso no passado. Antes fosse! O passado não me deixa, você não me deixa.
Na verdade, eu fui por sua causa. Talvez você não tenha percebido ou notado, mas já me acostumei, você nunca percebe, nunca nota, nunca repara em mim... Pelo menos não de verdade.
Eu fui embora por sua causa. Você acha mesmo que eu deixaria tudo pra trás porque estava entediada? Cansada? Não! Eu tinha coisa demais, uma vida construída, poderia conviver com o tédio e o cansaço, mas nunca, nunca conseguiria conviver com você.
Não especificamente com você, somos amigos, eu sei. Mas seria impossível conviver com esse amor latente dentro de mim, se debatendo toda vez que nos abraçavamos. Eu neguei, chorei, lutei contra isso. Me afastei, respirei novos ares, até por mais tempo do que deveria, conheci outras faces, vozes, gostos. Inútil.
Nenhum gosto tão doce, amargo, azedo, cítrico quanto o seu gosto. Porque você tem todos os gostos, você tem tudo o que eu preciso, apenas você.
Como eu poderia conviver sorrindo pra você, me alimentando de abraços amigáveis, quando tudo o que eu mais queria era te tomar pra mim? Me diz... Como?
E mesmo agora, longe, eu estou pensando em você. Sempre e sempre.
Eu te amo! Como sempre amei, como sempre vou amar, você consegue me entender?
Eu fui embora por você, porque você me tira a sanidade.
Talvez funcionasse insana, mas você nunca me quis, nunca me amou, desejou, sequer me notou.
E agora tudo o que eu mais queria era voltar. Era voltar para você, mas para você mesmo, entende? O pior é que você sabe que basta uma palavra sua para que eu volte, bastava uma palavra sua para que eu nem mesmo me fosse.
Eu fico aqui, fingindo que vou seguir em frente, que está tudo bem, mas não está.
Nunca vai estar. Droga!
Nunca vai estar tudo bem sem você.
Eu te amo... Eu te amo! E às vezes isso me assusta...
E eu nem mesmo sei se você vai ler isso, talvez leia e ignore, geralmente é o que você faz, não é? Ignorar...
Mas eu precisava desabafar... Eu te amo, você sabe, eu sei, todo mundo sabe, mas finge que não vê... Pra tentar amenizar, como se funcionasse.
Eu ainda penso em você, e vou continuar pensando...

7 comentários:

mille. disse...

Que coisa linda *-*
vou te seguir no twitter ok :D
EmileJanaina sou eu

♦ Stephanie ♦ disse...

é MUITO difícil gostar de alguém. Quando agente gosta mesmo, não consegue tirar da cabeça. =/

vi no outro coment, que vc tme twitter. vo te seguir. bj

Rony disse...

infelizmente minha amiga, o amor é o ópio do mundo

Saori disse...

Lindo texto, como sempre!!

O amor é um sentimento com duas caras. Alguns dão sorte, outros não, mas como minha querida mamãe sempre diz: “cada pessoa tem um sapato para o seu pé!” XDD Então por isso, te desejo o melhor ^^

Bjs!!

Arlequim disse...

to um pouco desesperada no momento, mas volto pra ler. rs
(essa minha sinceridade..)
Vou te seguir no twitter. riri

Karol Melo disse...

Eu já andei várias vezes pelo seus sapatos e sei o que você sente. Eu só posso te desejar força para seguir por esse momento atordoado de sua vida.

Abraços!

Arlequim disse...

uma daquelas coisas que todo mundo sabe, mas ninguém conta pra ninguém.
dói; e não vou dizer que passa, pq eu realmente ainda não se isso é possivel.

beijo.