sexta-feira, 16 de julho de 2010

Solidão e roupa suja.

No final, eu sempre prezo pelo querer.
Pelo meu querer pelo querer.
No final, eu sempre deixo a emoção falar mais alto que a razão e acabo em lágrimas. depois eu as seco, sorrio, sigo em frente até o momento eu onde vou cair no mesmo buraco e sujar as minhas roupas.
E o pior é saber que depois eu vou chegar em casa e não vai ter ninguém me esperando. Eu vou estar lá, sozinha. Ouvindo alguma música romântica e bebendo vinho. E a roupa suja também vai estar lá. Sozinha. Seremos duas sozinhas.
Tudo culpa do querer.
Dele e da minha incapacidade de ir contra ele.
No fim eu sei que por mais que eu diga não, quando eu quero dizer sim, eu vou acabar dizendo sim.
Talvez seja estupidez ainda olhar pelo vidro da janela e esperar que você apareça;
Talvez seja ingenuidade acreditar que ainda resta esperança.
Eu não sei ao certo o que pensar, e esse monte de gente me cercando piora a situação.
As pessoas não entendem que eu não quero nada com elas. Não entendem que eu não quero nada com nada que não seja você;
Ou talvez o problema seja exatamente ao contrário.
De tanto querer eu acabo por querer a todos e acabo por dar falsas esperanças para os outros esperando que você me dê esperanças.
Já não sei ao certo sobre o querer.
Só tem algo que eu sei realmente.
É que quando eu voltar pra casa, eu não vou ter ninguém pra conversar enquanto eu lavo a minha roupa.

2 comentários:

Rhaissa N. Ramon disse...

"De tanto querer eu acabo por querer a todos e acabo por dar falsas esperanças para os outros esperando que você me dê esperanças."

É exatamente isso que eu venho tentado dizer. Mas não sai da garganta, não passa por ela.
Tá entalado.
Tenho medo de perder alguém por dizê-lo. Mais medo ainda, de estar me perdendo.

Vanessa Souza Moraes disse...

A solidão não é ruim.