sexta-feira, 23 de janeiro de 2009


-Você não vale a pena! – ele disse.
Ela sentiu o chão abrir em meio aos seus pés. Parecia que estava caindo em um buraco negro sem fim. Ela pôde ouvir o barulho da porta do apartamento fechando. Mas seus sentidos pareciam ter parado. Estava tudo meio lento, meio torto, meio fora do lugar.
Ela sentiu uma vontade repentina de vomitar. Correu para o banheiro. Que sensação era aquela? Lágrimas saltavam-lhe os olhos quase que inconscientemente. Ela teve que tentar se recompor entre vômito e lágrimas. Agonia e soluços.
Sua mão tremia. Seria o efeito daquela frase?
Ela nunca imaginou aquela cena. Eles tinham passado por tanta coisa juntos e agora com aquelas palavras ele a tratara como se o tempo junto de nada significasse. Ela sequer entendia o porquê daquilo naquele momento.
Suas entranhas pareciam querer sair pela boca. Ela sentia como se seu coração tivesse uma estaca fincada nele. Ou como se alguém tivesse pegado o mesmo e apertado cravando nele unhas afiadas.
Sua alma parecia sangrar. Era como se ela sentisse o sofrimento dentro de si. Era uma dor incomparável que ela sentia. Não era física, sua cabeça, seu corpo, nada exteriormente doía, mas por dentro a história era outra. Ela podia ouvir o choro no âmago do seu ser. Ela podia sentir sua alma gotejando lágrimas de extensa dor. Ela podia sentir sangue brotando de suas entranhas para afogar seu interior naquele líquido designador da morte.
Ela sentou-se por um momento tentando compreender a situação.
Chorava e apenas chorava. Sua voz travara, todos os seus sentidos pareciam ter parado por completo.
Ela caminhou lentamente como se outra pessoa guiasse seu corpo. Não era ela ali, mas ela não estava com forças suficientes para tentar ir contra aquele desejo que corria dentro de si.
Seu corpo o levava até a pia do banheiro. Automaticamente suas mãos pegavam uma gilete. Foi o único momento que ela pode usar seu raciocínio.
-Tão clichê. –sussurrou para si mesma.
Caminhou novamente e sentou-se em meio à cerâmica branca do banheiro.
Encostou-se no vaso sanitário e olhou para seus próprios pulsos.
Não hesitou e cortou os mesmos de forma firme. Pareceria tão decidida se alguém a visse. Não daria para saber o qual fraca ela estava na realidade.
Ela pôde ver o sangue jorrar e sujar a límpida cerâmica. Seus sentidos começaram a fugir e seus olhos a perder o brilho.
Sempre pensara que nessas horas passavam-se todos os momentos da vida da pessoa em sua mente, como o trailer de um filme.
Com ela estava sendo diferente. As cenas passavam sim, mas não eram cenas de toda sua vida, eram cenas de sua vida com ele. Somente os momentos dele juntos, e somente as cenas que lhe proporcionaram felicidades. Não era hora de lembrar as cenas tristes... Naquele momento, ela queria poder sentir-se feliz pela última vez. Ela foi tombando vagarosamente enquanto perdia totalmente suas forças.
Parecia incrível, mas ainda pôde-se notar um sorriso singelo brotando dos lábios dela e um sussurro quase inaudível:
-Pois pra mim... -a voz parecia falhar - você sempre valerá a pena.
Seu coração tornava-se mais lento.
-Tum-tum... Tum...... Tum.............Tum...............................................................
Ela deixou de existir. Sua vida não mais pertencia a esse mundo. Uma lágrima ainda rolou pela face dela que agora começaria a tornar-se gélida.
Esse foi o último suspiro de vida de uma garota que amou com tudo o que podia. Seu erro fora o fato de ter-se dado tanto a alguém. Seu erro causara sua morte. E agora ali, jogada naquele chão duro e frio, entre aquela substância vermelha com cheiro de ferrugem, estava o corpo da menina que se foi sem que ninguém pudesse ouvir suas últimas palavras.

8 comentários:

Saori/Lulu disse...

Muito bom receber uma notícia dessas, não é mesmo?! Espero que vc consiga ir á esse show, já que vc é fã do Miyavi ^^ e não consegui ir no show do ano passado.
“a gente que eh do fã-clube já estamos organizando as coisitas para ele ^^”
Q legal Amanda!! Com certeza ele vai adorar o presente de vcs!

“vou tentar mesmo manter o ritmo do blog dessa vez XD”
Dou todo apoio o/ Pois o mundo blog é tão legal *viciada*

Sobre o post:
Bem desesperador! Fiquei imaginando a cena dessa pobre garota, mas penso o seguinte: A VIDA é mais importante. O homem que a largou, não vale nenhuma lagrima dela. *pronto disse*

Amanda o texto esta muito bonito, parabéns!! Fiquei com os olhos cheios de lágrimas. *snif*

Roberta Albano disse...

é, esse post mexe comigo
sem dúvidas
provoca as emoções que vc quis passar.

bem romântico esse texto
aliás, da pra notar muitas coisas do romantismo nele
dor de amar uma pessoa que não retribui o sentimento
além de mostrar a fuga de toda a dor.

claro que eu nunca me mataria por isso, mas sei como é triste isso tudo.
nunca me mataria pq eu tenho que estar preparada para sofrer uma vez que não posso evitar me apaixonar

Arlequim disse...


Lindo.
E só me fez acreditar ainda mais no que eu sempre acreditei: Amor é suicidio.

Beijos, querida.
Escreves muito bem.

Saori/Lulu disse...

@Amanda:
Esta louca para ver esse filme?! Então se apresse logo para ver, pois esta perdendo um filme maravilhoso. Há, e não se esqueça de levar um lencinho, pois dá MUITA vontade de chorar *chorona* Só que eu não chorei, me contive o filme todo T_T

Estou torcendo para que consiga ir ao show!! E tenho certeza de que o Miyavi vai adorar o presente de vcs do fã-club.

Bye o/

Ráines disse...

Hum, comentário pequeno por causa da pressa mesmo XD

Bom o post. Bem sentimental e da para se formar bem a imagem da cena. Muito bem trabalhado.

Adios ^^

Carioca disse...

seu texto eh absolutamente um tesao!
mas sofrer eh parte do viver, a questao sao os remetentes.

http://lettersalbano.blogspot.com/

Roberta Albano disse...

Ué, porque ele colocou o meu link em baixo do comentário dele?
XD

Carioca disse...

meu link era esse qui ó:
http://raciocinioquebrado.blogspot.com/