segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Sim. Era essa a sensação da qual eu sentia falta.
O prazer de ouvir a palavra amor da boca de outra pessoa em sua direção.
Sim. Era essa a sensação da qual eu sentia falta.
Poder sentir um arrepio percorrer a espinha quando a pessoa fala algo ao seu ouvido.
Notar um sorriso bobo e inconsciente brotar na face, e sentir as lágrimas quererem rolar tolas pelo rosto após uma demonstração de afeto.
Sim. Era isso o que eu buscava.
Essa doce sensação de quem ama e é correspondido, esse gostinho bom de sentir saudade, essa coisinha dentro do peito que faz o coração acelerar com qualquer bobagem.
Sim. Era isso o que eu queria.
Poder saber que meus olhos estão brilhando ao ver o sorriso do outro, pode sentir as mãos suarem à aproximação, poder sentir aquela frio na barriga quando o outro te olha daquela forma.
Sim. Era exatamente isso que eu estava esperando.
Sentir vontade de cantar alto, e correr pela rua como se não houvesse mais ninguém no mundo. Ter vontade de tomar banho de chuva, como se aquela água me pudesse lavar a alma.
Sim. Era exatamente você por quem eu buscava.
Poder sentir essa vontade de te ter. Esse anseio pelo teu cheiro, pelo teu gosto, pelo teu toque. Poder dizer ao seu ouvido todos os sentimentos que existem dentro de mim e poder ver somente com o olhar que você compartilha do mesmo que eu sinto.
É. Era isso mesmo que eu desejava.


Era você que eu desejava!!

T.

6 comentários:

Carioca disse...

toda hr eu fico lendo seu post. me fustiga. eh sexy, e desperta o desejo inerente a tds inseridos nesse contexto. otimo texto!

http://raciocinioquebrado.blogspot.com/

Everton Dias disse...

otimo texto... blog com personalidade! Um abraço... sucesso!!

Roberta Albano disse...

Parabéns pelo blog!
E pela poesia
você soube descrever o amor muito bem

eu sinto o mesmo, e eu sei que eu poderia usar sua poesia pra representar o que eu digo
é muito bom ler algo que me lembre o quanto eu vou apaixonada

boa sorte para o seu amor
;D

Ráines disse...

Sabe, Blogs são sempre interessantes. Já passei por bastantes, vendo suas características, suas análises (algumas tresoloucadas), sua conclusões e seus temas.

Muitos não despertam minha atenção, passando apenas por passar. Leio, as vezes nem comento nada. É melhor uma palavra não dita do que um besteira citada. rsrs.

Contudo, lis uns cinco posts já. Gostei. Principalmente dos últimos. Descreve muito bem a "poesia da alma". Aquela que não requer rimas, não requer métrica ou sonoridade. Requer apenas expelir do fundo de seu coração as palavras certas, e pronto, a poesia se forma. Mesmo sem os aspectos acima citados elas são belas. Gostosas de serem lidas...

Parabéns, Continue postando que virei visitar mais vezes.

Att,
Ráines

Arlequim disse...

Desejo ardente e, URGENTE! rs
Ótimo!
Beijoos.

Paulo Tamburro disse...

Tem certeza?