domingo, 14 de agosto de 2011

Decisão.

Quando eu fecho os olhos e respiro fundo, eu decido seguir em frente. Revivo mentalmente cada palavra já dita e chego a conclusão de que não há solução para o nosso problema. Talvez ele nem mesmo seja um problema, mas toda a complexidade existente em nós, nos faz confundir e difundir as coisas.
E então nos perdemos no caminho.
Quando eu fecho os olhos e respiro fundo, eu decido não olhar pra trás. Relembro bem todos os olhares e sorrisos que eu nunca consegui entender o significado, todo o quebra-cabeça que é você e que parece que eu nunca vou montar. Somos animais por vezes nem tão racionais assim, que se buscam e ao se encontrarem não se dão conta.
Estúpidos seres humanos alimentados de sentimentos.
Mas é quando eu decido seguir e não olhar pra trás que você me volta com as palavras doces e de aroma inebriantes, que me fazem perder o foco, o raciocínio e as forças nas pernas que me levariam adiante. Você me volta com sorrisos e olhares que me fazem voltar a questionar a minha decisão de ir embora.
Não me diga palavras doces se elas serão seguidas de ações amargas. Não use dos meus sentimentos e não abuse de minha vontade de te ter. Não zombe do meu querer e não desdenhe do meu coração.
Se for pra dizer, que diga a verdade, que seja intenso e verdadeiro e que esteja pronto pra assumir suas ações. Os seres humanos tendem a gostar de se manter nesse rolo de linha, nessa bola de neve que só cresce, mas não resulta em nada. E o nada nunca é bom. O nada é falta.
E eu odeio a falta.
Quando eu resolve tomar uma decisão pra finalmente pôr um fim nesse turbulento pseudo-quase-talvez-futuro-relacionamento você me volta com dizeres que me fazem bambear na corda bamba e me deixar pender pro lado errado. Se ele for mesmo o errado.
Não sei. Você faz isso. Me faz não saber de nada.
Me faz perder-me num quarto com paredes pintadas de tantas cores mistas que me causam uma visão psicodélica do mundo ao meu redor. E eu nunca sei o que é verdade e o que não é. Você me faz perder o senso, a razão e ter vontade de me jogar de cabeça em algo que eu não sei no que vai resultar.
Você me faz demais. Ou de menos.
E tudo o que eu quero, é uma decisão.

8 comentários:

SR. IND disse...

Os relacionamentos de hoje são secos e vazios, os de ontem também, mas não importa no caso. A principal pergunta é sempre o porque dos relacionamentos serem uma busca e não um convivo mais compartilhado. E é fácil responder a isto, a grande chave da questão, que nos leva a essa incerteza ou conformismo, perante o mal convivo que o relacionamento estabelece, o problema é o próprio vazio de ambas as partes.
Estudar, trabalhar, ganhar dinheiro, comprar, se distrair, pensar pouco e ser fútil. Logo junta-se muitos valores que nos tornam vazios, perante a falta de sentido no modo em que conduzimos nossas vidas. E é aqui que temos relacionamentos falsos, porque nem ao mesmos temos razões para gostar verdadeiramente de nós mesmos, quanto dirá dos outros... fingimos amar para preencher um vazio.
Ou de fato poderíamos fazer algo quanto a causa desse vazio e descobrir o gosto de um amor verdadeiro, do qual não se duvida (apenas questiona, filosofando), ou limita a uma unica pessoa entre as tantas desses bilhões de amores que nos esperam...
http://blogtransferencia.blogspot.com/

Lord Kelvim disse...

Relacionamentos... esse eh o segundo blog q leio hoje com o msmo tema, axo q usarei apenas minha frase: "Amar eh bom, mas, cabe a nós saber a quem... para naum sofrermos mais tarde"

mais eu ateh intendo a situação, jah cantava o Raul Seixas: "Como as pedras imoveis na praia fiko ao teu lado, sem saber dos amores q a vida me trouce e eu naum pude viver."

adorei o texto, bem interessante.

bjão

Rhaissa Ramon disse...

"Os seres humanos tendem a gostar de se manter nesse rolo de linha, nessa bola de neve que só cresce, mas não resulta em nada. E o nada nunca é bom. O nada é falta.
E eu odeio a falta."

Olá, bom tempo que não venho né? >< Sou preguiçosa pra comentar, mas...
Esse seu ultimo texto (postado já há um tempinho) é lindo. É inspirador.

Sempre caio nessa também. Nunca sei se vai ser melhor ficar ou ir embora. Insistir ou desistir. É difícil demais decidir, principalmente quando tem essa pessoa linda aos seus olhos na sua frente, lhe encantando - mesmo que aja com feiuras e trapaças que lhe doem - quando a pessoa está na sua frente, lhe olhando, dá medo de ir embora. Perder. Sentir falta. E também da medo de... perder tempo.


A decisão é a parte mais difícil do jogo.

Vanessa Souza Moraes disse...

Decisões, uhhhh.

rui disse...

Um Natal feliz!
Dizem que nasceu um menino....
Mas tambem nós podemos nascer de novo..e tentarmos sermos melhores.
Peça que desaparecam as lágrimas ..e que cresça alegria em todos os nessecitados
Que o olhar de cada um seja mais brilhante...Num Mundo täo triste..e cheio de desigualdades.
Partilhe o melhor de Si com os outros..dando-lhes de presente .. o seu amor o seu coraçäo.
Desejo um feliz e Santo Natal..a Si e á sua familia..e amigos
Muita Paz e muito Amor..
Beijos e Abraços

Rui

(escrevi esta mensagem para todas pessoas...me desculpe)

Amanda Nakao disse...

Cade você? Não suma!

Fernando Gonçalves disse...

Olá, parabéns pelo seu blog.
Te convido a conhecer o meu,
http://carmasepalavras.blogspot.com/

;)

Stephanie C. disse...

Decidir me causa delírios.