domingo, 22 de fevereiro de 2009


Está chovendo lá fora... E é noite.
Da janela desse quarto eu posso ver e ouvir tudo.
O som da TV ligada na sala, uma conversa trivial no apartamento a lado, uma música distante em mais alguma festa adolescente, o som dos pneus dos carros em contato com o asfalto molhado... Posso ver a chuva caindo forte alagando as ruas, as pessoas apressadas a fim de se proteger, os carros todos fechados para que a chuva não molhe seus interiores.

Tudo parece tão... Previsível e infinitamente pedante.
Tudo ao alcance da mão... Mas nada desejável o suficiente.

Porém, no âmago do meu ser, eu reconheço a existência de algo desejável: VOCÊ!
Algo desejável, mas que não está ao meu alcance direto. Algo que despertou o imprevisível em mim. Algo que definitivamente não é nada pedante.

Com o mundo ainda girando lá fora, eu continuo a observar a fina camada de chuva que molha o vidro da janela por fora. O pensamento longe, atravessando as muitas ruas que nos separam, a grande distância que impede de tocar-mos um ao outro. O pensamento viaja até você, mesmo sem conhecer o caminho certo. Mesmo sem um mapa para guiá-lo... Mesmo assim, ele viaja até você.

E te busca entre a chuva, entre as ruas alagadas, entre os rios transbordantes, entre as outras existências que pouco significam para mim.
Ele viaja e te encontra, mesmo que incoscientemente. Ele te acha e te toca em meu lugar, te vê em meu lugar... Te tem em meu lugar.




Os olhos se abrem e eu olho para fora. Ainda chove pela janela... Eu havia dormido.
Mas tudo foi tão real... Será que você também pôde sentir?

4 comentários:

Anderson disse...

O que comentar depois de ler algo tão íntimo e tão bonito. Uma pessoa que gosta de ler as vezes se depara com textos que não mudam em nada sua vida, as vezes depara-se com textos que nos fazem pensar, mas há textos que tocam nossas almas e fazem aflorar algo que tinhamos reprimido por algum motivo. Esse texto me fez sentir assim

Wasted Cigarettes disse...

Que belo texto! Você escreve muito bem e isso não me é novidade!
Ah, obrigada pelas boas vindas querida! valeu mesmo, te adoro muito!

Beijos *:

Saori/Lulu disse...

Bonito texto!! Concordo com que o Anderson disse: “O que comentar depois de ler algo tão íntimo e tão bonito.”
Um abraço Amanda!!

Até o/

liberto_me disse...

Nossa, primeira vez que passo por aqui, e me encantei com seu texto. Muito bom mesmo. Voltarei mais vezes ;)

beijos