segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Meu cansaço.

Cansei.
Cansei de chorar lágrimas minhas nunca correspondidas, ou lágrimas de outros que eu nunca poderia corresponder.
Cansei de esperar a campainha tocar ou dormir com o telefone do lado.
De dizer palavras que ninguém nunca vai se importar ou de ouvir palavras que não fazem diferença pra mim.
Cansei de agarrar o travesseiro pra acreditar que seu cheiro ainda está ali.
Cansei de esperar demais das pessoas e me decepcionar no final, ou de decepcionar as pessoas no meio do caminho.
De escrever palavras que talvez você leia, talvez não e que no fim dão no mesmo.
De ouvir canções que me fazem te lembrar ou de ouvir canções pra tentar te esquecer.
Cansei.
De gritar nomes perdidos na noite com a tola esperança de que alguém responda. De fazer promessas pras paredes e de ouvir promessas tão vazias quanto o apartamento agora.
Cansei dessa vida vazia que eu finjo estar sempre transbordando de cheia.
Cansei de sentimentos, de pensamentos, de 'quereres'.
Não quero mais nada, não espero mais nada, não vou sentir ou pensar mais nada.
Vou me adaptar a inércia, vou me desapegar de tudo, vestir a armadura e esquecer o que é o amor.
Ah, o amor. Cansei principalmente dele.
Dele e de seus truques malditos, armadilhas ferrenhas e pesares tristonhos.
Dele e de suas correntes apertadas demais e suas doses de entorpecente.
É, cansei baby.
Do amor, de você e de mim.
Simplismente cansei.

Um comentário:

Ahh... Line. disse...

também cansei, escrevera isso por minha mente querida! beijos!